A Decisão

Muitos me perguntam como e quando eu me interessei por um estilo de vida mais saudável, uma alimentação natural e em que momento surgiu minha paixão pela cozinha. Tudo começou quando decidi praticar yoga em 2004. Eu tinha 14 anos e levava uma vida típica de adolescente carioca da zona sul: escola, praia, cinema, teatro, basquete, vôlei, festas, etc. Com a yoga e o livro “A Autobiografia de um Yogui” do Paramahansa Yogananda, eu ganhei consciência corporal e uma nova visão de mundo. Essa consciência corporal me fazia perceber como a comida afetava e influenciava a minha vida, física e mentalmente. Dependendo do que eu comida, o meu humor, foco, determinação, concentração e pratica variavam. E eu fui naturalmente evitando alimentos que me prejudicavam. Então eu conclui que a alimentação mexia com o meu corpo, mente e espirito e precisava entender melhor essa conexão entre alimentação e comportamento.  Por isso me apaixonei pela nutrição. Comecei a olhar a comida como uma forma de tratamento, prevenção e cura de doenças.

Já com 18 anos fui morar em Nova York, com um olhar mais alternativo e saudável em relação à alimentação e percebi que para comer bem o melhor jeito seria preparando minha própria comida. Cozinhei o meu primeiro feijão e me apaixonei pela culinária. E então me vi com duas grandes paixões na vida, a culinária e a nutrição, e resolvi me aprofundar nas duas. Fiz um curso de culinária natural no Natural Gourmet Institute, depois me matriculei num curso de nutrição ayurvedica também em NY, estudei com o professor Tomio Kikuchi em São Paulo e finalmente fiz a faculdade de nutrição na Hunter College em NY.

Agora estou morando de volta no Rio e apresentando o Bela Cozinha, um programa de culinária natural no canal GNT onde tento mostrar às pessoas que podemos ter uma vida saudável e sustentável através da alimentação. Quero mostrar que a comida vai além do que está no seu prato, que a comida pode ser uma ferramenta de mudança politica, social, ambiental e de saudabilidade.