Estrogênio e o Câncer de Mama

Há muitos fatores que contribuem para o desenvolvimento do câncer, mas um fator particularmente importante para as mulheres é o desequilíbrio hormonal. Principalmente o desequilíbrio entre a progesterona e o estrogênio que podem causar vários tipos de câncer do sistema reprodutor feminino (mama, útero e ovário). Estrogênio e progesterona em desequilíbrio também podem desempenhar um papel no desenvolvimento do câncer em homens, especialmente o câncer de próstata. Mas para a mulher, o desequilíbrio hormonal pode ser um fator muito mais agravante no desenvolvimento de um câncer do que para o homem. Isso por causa do ciclo de vida da mulher que naturalmente mexe muito com o equilíbrio hormonal.

Em geral, 10 a 15 anos antes do início da menopausa, a produção de progesterona começa a cair. E continua caindo no período pós menopausa. Já os níveis de estrogênio, não diminuem muito durante os anos que precedem a menopausa. Só quando a mulher atinge a data da última menstruação é que o nível de estrogênio cai brutalmente. Mas mesmo assim o estrogênio continua mais elevado que a progesterona.

Quando as mulheres desenvolvem um desequilíbrio entre esses dois hormônios, é quase sempre os níveis de estrogênio, que são elevados. É muito raro de acontecer o contrário. Nos anos de pós menopausa a mulher pode sofrer com os sintomas da queda de estrogénio, ondas de calor, depressão, confusão mental, pele seca, secura vaginal, baixo libido e insônia. Mas até mesmo com o nível de estrogênio baixo, ele continua mais alto que a progesterona .

E agora, vcs devem estar se perguntando qual é o problema das taxas de estrogênio, serem mais elevadas que a da progesterona?

O estrogênio tende a estimular o crescimento das células, o que pode aumentar o risco no desenvolvimento do câncer. Essa característica do estrogênio de promover o crescimento do câncer já é aceita pela comunidade médica e é a razão pela qual a maioria dos médicos, hoje, se recusam a prescrever estrogênio para aliviar os sintomas da menopausa nas mulher com câncer.

E como o estrogênio promove o crescimento de células cancerosas? Ele ativa um gene nas células, chamado Bcl-2, que estimula o crescimento do câncer. A progesterona, por outro lado, desativa o Bcl - 2 e ativa um outro gene na mesma célula, o p53, que inibe o crescimento de tumores. Quando o p53 é ativado, ele retarda a reprodução celular e restaura a morte celular programada (apoptose). Assim, o estrogênio tende a estimular o crescimento celular descontrolado das células, pela ativação do gene de Bcl - 2 e progesterona tende a impedir o crescimento desregulado das células através da ativação do gene da p53 .

Entenderam o problema?

E hoje, tem mulheres saudáveis fazendo testes para ver se tem o gene Bcl-2 e caso positivo, algumas delas decidem retirar as mamas para prevenir o câncer. No ano passado a atriz pop americana Angelina Jolie, foi uma delas e fez a mastectomia preventiva. Na minha opinião, esta é a maneira mais extrema e invasiva de prevenção ao câncer de mama. Esses fatores genéticos só predispõem algumas mulheres ao desenvolvimento do câncer de mama, isso não garante que a doença virá a ocorrer! E há outras maneiras de preveni-la como checar sempre os níveis de estrogênio no sangue, fazer o exame da mama com frequencia e não comer alimentos que promovem o aumento da taxa de estrogênio como leite e seus derivados, carne vermelha e a soja não fermentada.