Farinha Branca e Diabetes - A Aloxana Escondida

A maioria de vocês que já leram alguns dos meus posts, já devem saber que as farinhas refinadas (brancas) fazem mais mal do que bem para o nosso corpo. Durante o processo de  refinamento da farinha de trigo, o grão do trigo é desprovido da sua a camada externa de farelo que rica em fibra e do o germe que é ótima fonte de vitaminas do complexo B e proteínas de boa qualidade. Assim, resta somente o endorsperma que é formado basicamente de carboidrato e alguma proteína, que no caso do trigo é o glúten. Mas os resultados desse processo não param por aí. A farinha, cuja cor natural é castanha, ainda é clareada utilizando uma substância química (que é padrão na indústria da farinha) chamada gás de cloro ou dióxido de cloro. Este gás, quando entra em contato com algumas proteínas presentes na farinha, constitui uma outra substância chamada ALOXANA. E o que a aloxana faz? Bom, ela destrói a função pancreática nos animais de laboratório. Nos testes feitos com ratos, a aloxana destrói as células beta, que é o grupo de células do pâncreas especializado em produzir insulina. E a insulina, é o que faz o nível de açúcar no sangue baixar. Assim, provocando diabetes nos ratinhos. Isso não é exatamente um segredo, porque os cientistas usam este método para induzir a chamada Diabetes Aloxânica em roedores para aprofundar seus estudos na doença.

A aloxana destrói as células beta, por ser uma substância muito semelhante à glicose, que é absorvida pelas células do pâncreas muito rapidamente, e, em seguida, produz radicais livres que destroem essas células, inibindo a produção de insulina. Portanto, quando as células beta forem destruídas suficientemente, cessa a produção de insulina e a diabetes tipo-1 ocorre.

Alguns estudos têm mostrado que a aloxana usada num nível tóxico para os ratos, não é tóxica para a célula-beta humana, provavelmente devido a diferentes mecanismos de absorção de glucose em seres humanos e roedores. No entanto, foi cientificamente comprovado que ela é tóxica para o nosso fígado e nossos rins! Porém, há um estudo feito em 1994 que mostra os níveis de aloxana presente em crianças com diabetes tipo-1. O nível médio de aloxana no sangue de crianças com diabetes insulino-dependente (tipo-1) foi estatisticamente maior que nas crianças saudáveis. O metabolismo da aloxana leva à produção dos radicais livres que  destroem as células e causa condições propícias à ocorrência de doenças autoimunes. Os resultados obtidos sugerem, que os níveis mais elevados de aloxana em crianças diabéticas são de grande importância no aparecimento da diabetes tipo-1. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7888696?dopt=Abstract

Aloxana é uma toxina categorizado como um pesticida, oxidante, irritante, perigoso para inalar e letal pela Agência de Proteção Ambiental americana. Este produto químico prejudicial nunca é mencionado nos rótulos de produtos que utilizam a farinha de trigo branca clareada quimicamente.

Agora, por quê temos esse culto a beleza alimentar e não podemos vender uma farinha meio amarronzada, ou achar um arroz integral mais interessante que o branco, ou até mesmo uma torta feita de farinha integral mais bonita que uma feita de farinha branca??? Temos que mudar nossos conceitos estéticos e de beleza não só nos homens e mulheres da sociedade como também na alimentação. Assim poderemos consumir menos química e sermos mais saudáveis apenas mudando um pensamento!!!

Viva aos padrões NATURAIS de beleza!!!